Dublin para uma brasileira

Primeiro de fevereiro de 2019, Vithória fala de sua casa na Irlanda. Gaúcha, morava em São Paulo na época em que fez faculdade – relações públicas na Cásper Libero. Ao final do curso decidiu que teria uma experiência de oito meses na Irlanda. Adaptou-se ao país e acabou ficando.

Japão para uma brasileira

A curiosidade em conhecer o Japão foi crescendo e se tornou realidade quase que por acaso, quando Sheila teve a oportunidade de fazer as malas e atravessar o mundo para viver em Osaka para ministrar aulas de dança no Japão, o país do sol nascente.

enredando

Fragmentos de um processo não reduzido aos resultados, compartilhamento de percursos, modos de trabalho e a vida cotidiana. Conexões e vínculos que tratam dos afetos como a matéria prima para o trabalho diário em que o tempo não se mede no relógio.