À FLOR DA PELE

Uma composição entre rascunhos, mensagens, intervalos e retomadas, descrevemos modos de fazer diálogos sobre o cansaço, o atropelo cotidiano, e ESTADOS A FLOR DA PELE. Um resumo dos diálogos e correspondências entre amigos interessados na multiplicação de modos de viver mais conectados com a vida. Durante a escrita deste texto, aos poucos percebemos que estados de pouca fluência não são necessariamente estados de fraqueza, mas brechas para aprofundar o que vivemos e sentimos.

A conta não fecha

Abundante é uma quantidade muito superior ao mínimo e que não faz desperdício porque tudo se aproveita, e diferentemente da lógica capitalista que precisa gerar a falta,criar objetos e demandas de consumo, vender o produto final e ofertar coisas mastigadas para manter corpos sedentários de produção e distantes do que podem, aqui a conversa é sobre abundância mesmo, aquilo que não acaba.

Lavar as mãos e a roupa suja!

Nossos comportamentos são cultivados com dedicação diária. Lavar a roupa suja é uma expressão bem comum entre nós brasileiros quando nos referimos aos diálogos com atrito dentro de nossas casas e nas relações pessoais com alguma convivência e intimidade. E para que serve ? E para quem Serve ?

Ficar em casa

Olhando para esses novos modos de existir em que no mesmo espaço físico operam a vida pessoal e o trabalho, proponho uma discussão acerca deste novo processo de organização da vida cotidiana olhando para alguns aspectos.

“um jornalista interessado na vida das pessoas”

Henrique compõem um escrita por composição de diferentes personagens, com narrativas carregadas de experiências pessoais, que são afetivas e também são geopolíticas. Sem tirar nem por nada que altere o percurso de quem narra a própria história alcançamos como leitores de seu texto as informações, os fatos, os acontecimentos e perspectivas com certo gosto de literatura.

Dublin para uma brasileira

Primeiro de fevereiro de 2019, Vithória fala de sua casa na Irlanda. Gaúcha, morava em São Paulo na época em que fez faculdade – relações públicas na Cásper Libero. Ao final do curso decidiu que teria uma experiência de oito meses na Irlanda. Adaptou-se ao país e acabou ficando.

o humano em nós

Ninguém nasce humano, se torna um. Em nossos primeiros momentos de vida, aspectos como preferências pessoais e hábitos cotidianos não existem. Tais características, que modelam nossos corpos nas diferentes culturas, são assimiladas e anatomizadas ao longo de toda a nossa existência,  este é um processo contínuo que nos confere uma natureza humana.

Japão para uma brasileira

A curiosidade em conhecer o Japão foi crescendo e se tornou realidade quase que por acaso, quando Sheila teve a oportunidade de fazer as malas e atravessar o mundo para viver em Osaka para ministrar aulas de dança no Japão, o país do sol nascente.

Brasileiros, o vai e vem da imigração

O Brasil, desde que foi colonizado por Portugal, tem sido o destino de milhões de imigrantes ao longo dos séculos. Das origens, credos, raças e idades mais diversas, esses homens e mulheres desembarcaram, no que hoje entendemos como um país, para através de uma complexa troca de culturas formar nossa sociedade. Somos um corpo social…

vida diária

Desde uma simples tarefa da vida cotidiana há uma organização corporal envolvendo formas de pensar, de conhecer, de sentir, de perceber o mundo e agir nele.